NOSSA HISTÓRIA

Fica criado, pela Lei Nº 6.160, de 10 de novembro de 1994, o município de Centro Novo do Maranhão, com sede no Povoado Centro Novo, a ser desmembrado do município de Carutapera, subordinado à Comarca de Carutapera. O município de Centro Novo do Maranhão limita-se ao Norte com o município de Carutapera; a Leste com o município de Godofredo Viana; a Oeste com o Estado do Pará e ao Sul com o município de Açailândia.

Gentílico: centronovense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Centro Novo do Maranhão, pela lei estadual nº 6160, de 10-11-1994, desmembrado de Carutapera. Sede no atual distrito de Centro Novo do Maranhão ex-povoado do Centro Novo. Constituído do distrito sede. Instalado em 01-01-1997.

Em divisão territorial datada de 15-07-1997, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Fonte:IBGE




HINO DA CIDADE


LEI DE CRIAÇÃO

MUNICÍPIO DE CENTRO NOVO DO MARANHÃO

Lei n° 6.160 de 10 de Novembro de 1994. Cria o Município de CENTRO NOVO DO MARANHÃO e dá outras providências.

O Governador do Estado do Maranhão,
Faço saber a todos os seus habitantes que a Assembléia Legislativa do Estado decretou e eu sanciono a seguinte Lei:

DA CRIAÇÃO DO MUNICIPIO

Art.1° - Fica criado o Município de Centro Novo do Maranhão, com sede no Povoado Centro Novo, a ser desmembrado do Município de Carutapera, subordinado à Comarca de Carutapera.

Art.2° - O Município de Centro Novo do Maranhão, limita-se ao Norte com o Município de Carutapera; a Leste com o Municipio de Godofredo Viana; a Oeste com o Estado Pará e ao Sul com o Município de Açailândia.

LIMITES TERRITORIAIS

a) Com o Município de CARUTAPERA:

Começa na foz do Rio Cachoeira, afluente da margem direita do Rio Gurupi; desse ponto, segue por um alinhamento Leste-Oeste, na direção Leste, até o ponto de interceptação com o divisor de águas Gurupi-Maracaçumé.

b) Com o Município de GODOFREDO VIANA:

Começa no ponto de interceptação do alinhamento Leste-Oeste que vem da foz do Rio Cachoeira, afluente da margem direita do Rio Gurupi, com o divisor de águas Gurupi-Maracaçumé, desse ponto segue pelo referido divisor na direção Sudoeste, até seu ponto de interceptação com o alinhamento reto que vem da cabeceira mais alta do Rio Maracaçumé.

c) Com o Município de CÂNDIDO MENDES:

Começa no ponto de interceptação do alinhamento reto que parte da cabeceira mais alta do Rio Maracaçumé com o divisor de águas Gurupi-Maracaçumé; desse ponto, segue em direção Sul, pelo referido divisor, até o ponto de entroncamento com o divisor Maracaçumé-Turiaçú.

d) Com o Município de SANTA LUZIA DO PARUÁ:

Começa no ponto de entroncamento dos divisores de águas Gurupi-Maracaçumé e Maracaçumé-Turiaçú; desse ponto de interceptação com a estrada carroçável da quadra 06 da COLONE e segue pelo divisor de águas Gurupi-Turiaçú; desse ponto, segue pelo referido divisor na direção Sudoeste, até seu ponto de interceptação com o alinhamento reto Leste-Oeste que parte da cabeceira mais alta do Rio Turiaçú.

e) Com o Município de BOM JARDIM:

Começa no ponto de interceptação do alinhamento reto Leste-Oeste que parte da Curva do Raimundo Trindade, comumente conhecido como picada da PETROBRÁS, com divisor de águas Gurupi-Pindaré, conhecido como Serra do Piracambú; desse ponto segue pela referida serra na direção Sul, até seu ponto de interceptação com a cabeceira do Rio Poranguete.

f) Com o Município de AÇAILÂNDIA:

Começa no entroncamento do Espigão divisor da margem direita do Rio Cajuapara no divisor de águas Gurupi-Pindaré, conhecido localmente por Serra do Piracambu; daí segue pelo referido Espigão, até a junção deste com o Rio Itinga, onde reforma o Rio Gurupi.

g) Com o ESTADO DO PARÁ:

Começa na junção dos Rios Itinga e Cajuapara, formadores do Rio Gurupi; daí segue pelo referido Rio à jusante até a foz do Rio Cachoeira, seu afluente da margem direita.

DISPOSIÇÕES TRANSITÓRIAS

Art.3° - Nos quatro primeiros anos da instalação do Município de alto Alegre do Pindaré serão observadas as seguintes normas constitucionais:

I – A Câmara Municipal será composta de nove Vereadores;

II - A Prefeitura Municipal terá no máximo cinco Secretarias;

III – As despesas orçamentárias com pessoal não poderão ultrapassar a cinqüenta por cento da receita do Município.

Art.4° - Esta Lei entrará em vigor n data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Mando, portanto, a todas as autoridades a quem o conhecimento e a execução da presente Lei pertencerem que a cumpram e a façam cumprir tão inteiramente como nela se contém. O Excelentíssimo Senhor Secretário Chefe de Casa Civil do Governador a faça publicar, imprimir e correr.

Palácio do Governo do Estado do Maranhão, em São Luis, 10 de novembro de 1994, 173º da Independência e 106º da Republica.

JOSÉ DE RIBAMAR FIQUENE
Governador do Estado do Maranhão
CÉLIO LOBÃO FERREIRA
Secretário de Estado da Casa Civil do Governador
RAIMUNDO NONATO CORRÊA DE ARAUJO NETO
Secretário de Estado da Justiça


PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL N° 215 DO DIA 10 DE NOVEMBRO DE 1994
PROJETO DE LEI N° 336/94
AUTORIA DO DEPUTADO CARLOS BRAIDE
 

 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.



Receba nossa Newsletter. Deixe seu nome e e-mail!